???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://localhost:8080/tede/handle/tede/54
Tipo do documento: Dissertação
Título: Representações das personagens femininas de Orgulho e Preconceito de Jane Austen
Título(s) alternativo(s): Representations of the female characters of Pride and Prejudice by Jane Austen
Autor: Barros, Samira Alves de
Primeiro orientador: Barbosa, Maria do Socorro Baptista
Resumo: A mulher vitoriana do século XIX não teve muita oportunidade de expressar seu olhar sobre o mundo. Elas já nasciam com seus destinos decididos e não tinham muitos direitos, apenas os referentes ao mundo privado, ou seja, o universo doméstico, assim elas eram consideradas subservientes em relação ao homem, seja seu pai ou o marido. O sexo frágil também não tinha direito ao conhecimento, ―o saber‖, essa questão perdurou por muito tempo até que elas cansadas resolveram reivindicar seus direitos perante a sociedade. O romance inglês de Jane Austen, Orgulho e Preconceito (1813) mostra o papel do sexo visto como inferior diante dessa sociedade patriarcal autoritária e conservadora no qual a mulher não tinha direitos, sendo sempre vista como um ser subjugado. Mas em meio às várias personagens submissas Austen revela Elizabeth Bennet, uma mulher que não aceita essa imposição de submissão, esse papel de incapacidade, procurando fazer suas próprias escolhas, decidindo assim seu futuro. Este trabalho objetiva analisar a representação das figuras femininas no romance austeniano, através de teóricos como Michelle Perrot (2005), Beauvoir (1970), Woolf (1985), Andrea Nye (1995), Zollin (2005), Zinani (2007) e Cetilli (1993). Foi feito um levantamento sobre os fundamentos mais importantes do Romantismo e as principais características das personagens e da romancista em relação a seu estilo de escrita, concluindo-se que a romancista apesar de possuir algumas características referentes ao Romantismo, não faz parte deste movimento; e que a escritora usa suas personagens para demonstrar o que pensa, tornando-as assim uma espécie de reflexo de voz autoral.
Abstract: The Victorian woman of the nineteenth century did not have much opportunity to express their view of the world. They were born with their destiny already decided and did not have many rights, only for the private world, that is, the domestic universe, so they were considered subservient to man, either their father or husband. The fairer sex also had no right to information, the "knowledge", this issue lasted for a long time until they got tired and decided to claim their rights in society. The English novel by Jane Austen, Pride and Prejudice (1813) shows the role of the female sex seen as inferior on that conservative authoritarian and patriarchal society in which women had no rights and are always seen as being overwhelmed. But amid the various submissive characters Austen reveals Elizabeth Bennet, a woman who does not accept this imposition of submission, this role of disability, looking to make her own choices, thereby deciding her future. This paper aims to analyze the representations of female characters in the austenian novel through theorists like Michelle Perrot (2005), Beauvoir (1970), Woolf (1985), Andrea Nye (1995), Zollin (2005), Zinani (2007) and Cetilli (1993). A survey was done on the most important foundations of Romanticism and the main characteristics of the characters and the novelist in relation to her writing style, concluding that the novelist, despite having some characteristics related to Romanticism, is not part of this movement, and that the author uses her characters to demonstrate her thought, thus making them a kind of reflection of authorial voice.
Palavras-chave: Mulher
Submissa
Transgressora
Personagem
Reflexo de Voz Autoral
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
LETRAS::LITERATURA BRASILEIRA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Estadual do Piauí
Sigla da instituição: UESPI
Programa: Programa de Mestrado Acadêmico em Letras
Citação: BARROS, Samira Alves de. Representações das personagens femininas de Orgulho e Preconceito de Jane Austen. 2013. 93 f. Dissertação (Programa de Mestrado Acadêmico em Letras) - Universidade Estadual do Piauí, Teresina.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/54
Data de defesa: 31-Jul-2013
Appears in Collections:Mestrado Acadêmico em Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação CompletaTexto completo956,08 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons