???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://localhost:8080/tede/handle/tede/320
Tipo do documento: Dissertação
Título: Desdobramentos de memória em Flores Incultas, de Luíza Amélia de Queiroz
Autor: Reis, Francisco Brunno Carvalho
Primeiro orientador: Santos, Silvana Maria Pantoja dos
Resumo: Esta pesquisa objetiva analisar o processo memorialístico na obra Flores incultas (2015), de Luíza Amélia de Queiroz, sob o viés da percepção e da imagem-lembrança. São recorrentes na obra imagens memorialísticas articuladas ao corpo, sendo este um agenciador no processo da recordação, cujas ações fornecem materiais do passado. Dessa forma, a memória pode ser atualizada no presente, por meio das impressões do sujeito que se pronuncia. Em Flores incultas há coexistência entre passado e presente, cujas sensações e sentimentos são evidenciados pelo sujeito lírico. A pesquisa é bibliográfica e tem como referências basilares os pensamentos de Bergson (1999), Ponty (2011), Halbwachs (2003), Le Goff (1990), Paz (1982), dentre outros. A voz poética de Flores incultas volta-se a cenas pretéritas particulares e coletivas, cujas imagens memorialísticas emergem revestidas de saudade, dor e melancolia. Constata-se que, ao se direcionar ao passado, o sujeito poético faz uso de imagem- lembrança que corresponde aos principais momentos de sua trajetória de vida. A percepção se faz presente na recordação, por meio de acréscimos de informações e de fatos também significativos a ele.
Abstract: This research has the purpose to analyze the memorialistic process in literary work Flores incultas (2015), written by Luíza Amélia de Queiroz, beneath the perception and the imageremembrance bias. They are recurrent in the work memorialistic images articulated to the body, in which this is an agent in remembrance process, whose actions have provided past materials. In this way, the memory can be updated in the present, through the impressions of the subject who pronounces itself. In Flores incultas, there is the coexistence between past and present, whose sensation and feelings are evidenced by lyrical subject. The research is bibliographic and having as fundamental references the thinking of Bergson (1999), Ponty (2011), Halbwachs (2003), Le Goff (1990), Paz (1982), among others. The poetic voice of Flores incultas turns back to past individual and collective scenes, whose memorialistic images arise involved of yearning, pain and melancholic. By verifying that, to orientate to the past, the poetic subject has done the image-remembrance using which corresponds to the main moments of its life trajectory. The perception is present in remembrance, through information addition and facts which are significant to it.
Palavras-chave: Memória
Flores Incultas
Percepção
Área(s) do CNPq: LETRAS::LITERATURA COMPARADA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Estadual do Piauí
Sigla da instituição: UESPI
Departamento: Centro de Ciências Humanas e Letras
Programa: Programa de Mestrado Acadêmico em Letras
Citação: REIS, Francisco Brunno Carvalho. Desdobramentos de memória em Flores Incultas, de Luíza Amélia de Queiroz. 2018. 89 f. Dissertação (Programa de Mestrado Acadêmico em Letras) - Universidade Estadual do Piauí, Teresina, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/320
Data de defesa: 26-Mar-2018
Appears in Collections:Mestrado Acadêmico em Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Completa.pdf2,4 MBAdobe PDFDownload/Open Preview
Termo de Publicação.pdf626,74 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.