???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://localhost:8080/tede/handle/tede/397
Tipo do documento: Dissertação
Título: Escrevivência e ancestralidade nos contos de mãe beata de Yemonjá, Conceição Evaristo e Cristiane Sobral
Autor: Carvalho, Maria do Carmo Moreira de
Primeiro orientador: Souza, Elio Ferreira de
Primeiro membro da banca: Souza, Elio Ferreira de
Segundo membro da banca: Lima, Solimar Oliveira
Terceiro membro da banca: Lopes, Maria Suely de Oliveira
Resumo: Este trabalho tem por objetivo analisar contos de três autoras afro-brasileiras, cujos títulos selecionados são os seguintes: “A pena do ekodidé”, de Mãe Beata de Yemonjá (2002), “Fios de ouro”, de Conceição Evaristo (2017), “Das águas”, de Cristiane Sobral (2017). Nesta ordem, as protagonistas “mocinha”, pois Beata não a apresenta com um nome próprio, Halima e Omi são atravessadas pela úlcera da inferiorização, seja decorrente da influência histórico-social dominante ou de padrões conservados no modo de viver em comunidade. Nos três títulos são abordados contextos diferentes de opressão referentes ao gênero, mitigando acentuadamente a questão da aparência. No decorrer das narrativas, o estigma é superado pela força do orixá Oxum. Tal gesto concatena o ponto de vista espistemológico da Escrevivência, “assentada” (SALES, 2020) na força do axé do orixá. O procedimento escrevivente se expressa nos escritos de Beata (2002), Evaristo (2017) e Sobral (2017) por meio dos preceitos da religião de fundamento africano posta em primeiro plano, da dignificação da beleza afrodescendente através as ações de uma divindade originalmente africana, do corpo como lugar de interpretação para além do texto e da palavra no arranjamento de quase fala. Tomando como base estas premissas, analisamos o protagonismo da “mocinha”, Halima e Omi, bem como o de Oxum para o fortalecimento delas, a partir de dois prismas: Primeiro, as personagens passando pelo cerceamento da identidade; Segundo, Oxum possibilitando a reafirmação da identidade. No primeiro eixo, identificamos quais meios de opressão foram contribuintes para o controle da performance das personagens. No segundo eixo, analisamos Oxum manifestada ancestralmente para a edificação das protagonistas em frente a tais fontes de opressão. A pesquisa é de cunho bibliográfico, portanto, para fundamentar teoricamente as ideias expostas, apoiamo-nos em textos dos/as seguintes autores/as: Evaristo (2020), Silva (2020), Sales (2020), Machado (2020), Duarte (2010), Ianni (1988), Du Bois (2019), Souza (2006,2015,2017), Carneiro (2019), Gonzalez (2020), Collins (2019), hooks (2019), Munanga (2019), Cuti (2010), Dalcastagnè (2012), Kilomba (2012), Gomes (2007), Rosa (2003), Sodré (2002), Risério (1996), Hall (2003), Spivak (2010), Beata (2002), Evaristo (2017) e Sobral (2017). Ao analisar os contos, concluímos que as autoras iniciam as narrativas incitando a forma como mulheres são recebidas em lugares majoritariamente embranquecidos e como elas são embranquecidas e/ou martirizadas estando nesses lugares. Contudo, encerram os contos com o erguimento ancestral que começa na palavra oralizada, perpassando toda uma construção narrativa e protagonizante, até chegar no triunfo final: personagens negras heroínas, que passam a ter diferentes vias de possibilidades abertas por Oxum, para mudar os rumos da própria história.
Abstract: This paper aims to analyze short stories of three Afro-Brazilian women authors, whose selected titles are as follows: "A pena do ekodidé", by Mãe Beata de Yemonjá (2002), "Fios de ouro", by Conceição Evaristo (2017), "Das águas", by Cristiane Sobral (2017). In this order, the protagonists "mocinha", since Beata does not present her with a proper name, Halima and Omi are crossed by the ulcer of inferiorization, whether arising from the dominant historical-social influence or from patterns conserved in the way of living in community. In all three titles, different contexts of oppression referring to gender are addressed, sharply mitigating the issue of appearance. In the course of the narratives, the stigma is overcome by the strength of the orixá Oxum. Such gesture concatenates the writing's espistemological point of view, "seated" (SALES, 2020) in the strength of the orixá's axé. The writing procedure is expressed in the writings of Beata (2002), Evaristo (2017) and Sobral (2017) through the precepts of the African-based religion put in the foreground, the dignification of the Afro-descendant beauty through the actions of an originally African deity, the body as a place of interpretation beyond the text and the word in the arrangement of quasi-speech. Taking these premises as a basis, we analyze the protagonism of the "young lady", Halima and Omi, as well as that of Oxum for their empowerment, from two prisms: First, the characters going through the identity curtailment; Second, Oxum enabling the identity reaffirmation. In the first axis, we identify which means of oppression contributed to the control of the characters' performance. In the second axis, we analyze Oxum ancestrally manifested for the edification of the protagonists in front of such sources of oppression. This is a bibliographical research, therefore, in order to theoretically support the exposed ideas, we rely on texts by the following authors: Evaristo (2020), Silva (2020), Sales (2020), Machado (2020), Duarte (2010), Ianni (1988), Du Bois (2019), Souza (2006,2015,2017), Carneiro (2019), Gonzalez (2020), Collins (2019), hooks (2019), Munanga (2019), Cuti (2010), Dalcastagnè (2012), Kilomba (2012), Gomes (2007), Rosa (2003), Sodré (2002), Risério (1996), Hall (2003), Spivak (2010), Beata (2002), Evaristo (2017), and Sobral (2017). In analyzing the short stories, we conclude that the authors begin the narratives by inciting how women are received in mostly whitened places and how they are whitened and/or martyred being in those places. However, they close the tales with the ancestral upliftment that starts in the spoken word, going through an entire narrative and protagonist construction, until arriving at the final triumph: black heroine characters, who start to have different ways of possibilities opened by Oxum, to change the course of their own history.
Palavras-chave: Mãe Beata de Yemonjá
Conceição Evaristo
Cristiane Sobral
Oxum
Escrevivência
Área(s) do CNPq: LETRAS::LITERATURA BRASILEIRA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Estadual do Piauí
Sigla da instituição: UESPI
Departamento: Centro de Ciências Humanas e Letras
Programa: Programa de Mestrado Acadêmico em Letras
Citação: CARVALHO, Maria do Carmo Moreira de. Escrevivência e ancestralidade nos contos de Mãe Beata de Yemonjá, Conceição Evaristo e Cristiane Sobral. 2023. 124f. Dissertação (Programa de Mestrado Acadêmico em Letras) - Universidade Estadual do Piauí, Teresina, 2022.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/397
Data de defesa: 3-Dec-2022
Appears in Collections:Mestrado Acadêmico em Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Completa.pdfTexto Completo941,94 kBAdobe PDFDownload/Open Preview
Termo de Publicação.pdf405,79 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.